Pages Menu
Facebook
Categories Menu

Posted | 2 comments

Curada do TOC e da depressão

depressioneConverti a Cristo com mais ou menos 14 anos e no dia 27-11-2005, com 15 anos, fui batizada nas águas, a partir daí comecei a viver uma vida diferente, uma vida para Deus, eu orava, jejuava, ia aos cultos, evangelizava, era bastante ativa na obra. 


Quando estava com 19 anos, depois de haver tentado vários vestibulares, consegui entrar na faculdade de biologia, lá eu fiz muitas amizades, em sua maioria com pessoas mundanas, no início parecia tudo bem, eu estudava, conversava com os colegas e saia com eles, porém, eu deixei de ir à igreja, de orar e minha fé enfraqueceu, mas eu não ligava pra isso, estava tão envolvida com o mundo, que nem me dava conta do erro que estava cometendo, achava que tudo estava maravilhoso, fazia um bom curso, havia conseguindo alguns estágios em laboratórios, contato com diversas pessoas formadas na área. Nesta época, eu estava morando na casa de meu avô, pois minha mãe estava afastada do evangelho e vivendo com um homem que eu detestava, ele era ignorante e bebia muito, além de ser desviado, e não sei o porquê, mas ele também não gostava mim, por causa disso minha relação com minha mãe não era boa, quase não conversávamos quando ela ia me visitar, meu pai mora em outra cidade, e nossa relação também é muito complicada, porque ele é uma pessoa muito difícil e arrogante, murmura muito da vida. Então, eu estudava a tarde e a noite e quando eu não estava na universidade, eu ficava só, mesmo quando meu avô e minha tia estavam em casa, pois conversávamos só o básico para uma “boa” convivência. 


O tempo foi passando e a tensão na faculdade começou, tinha muitas coisas pra estudar, trabalhos pra fazer, seminários pra apresentar, e nos horários vagos eu ficava conversando com minhas colegas, mas nada que preenchesse o vazio que estava sentindo, era como se eu estivesse sozinha, mesmo em meio a uma multidão de pessoas, às vezes tínhamos algumas intrigas, e as conversas eram quase sempre as mesmas, nada que pudesse edificar, só assuntos mundanos, aquilo estava me chateando, eu não podia contar meus problemas, nem pedir algum conselho, pois sabia que elas não teriam como me ajudar, nenhuma conhecia a Jesus verdadeiramente, faziam várias coisas que a Bíblia condena, vi muita gente se desviar naquele lugar, inclusive eu era uma dessas pessoas, pois não estava totalmente firmada na rocha que é Jesus, com isso tudo eu comecei a me afastar dos colegas e ficava na maioria dos momentos sozinha, escondida, cheia de pensamentos horríveis, chorando toda hora, e ninguém com quem contar. Tinha uma mente inquieta, a tarde ia pra Uesb(faculdade), tentava estudar, mas os maus pensamentos me dominavam, tudo o que eu via e ouvia, nas aulas, nos jornais, novelas, nas conversas das pessoas, geralmente um assunto ruim, uma tragédia, acidente ou doença, ficava com medo de acontecer comigo ou com uma pessoa próxima a mim, isso fazia com que eu me dirigisse para um lugar sossegado, para chorar, parecia que tinha um nó na garganta, os dias seguiam e eu estava piorando, comecei a associar meus medos com números, palavras, pessoas, não queria frequentar algumas aulas, recusava viagens de campo com a turma, mesmo valendo nota, não olhava calendários, evitava relógios, havia parado de assistir televisão, e raramente entrava em um ambiente onde a TV estivesse ligada, fiquei com um trauma terrível diante de tudo isso, já não conseguia ter uma vida normal.


Um dia fui visitar minha mãe, pois ela havia se separado daquele homem, neste dia ela notou meu semblante triste, me perguntou o que estava acontecendo e eu tentei disfarçar, mas não conseguia porque meus olhos enchiam de lágrimas, ela ficou bastante preocupada, neste mesmo dia, havia uma prima na casa, e vendo a situação sentiu vontade de orar por mim, eu deixei, minutos depois ela saiu da casa e restou eu e minha mãe, neste momento senti uma grande raiva dentro de mim, comecei a chorar e gritar, era como se fosse uma explosão, eu culpei a minha mãe por tudo o que estava acontecendo, eu tinha ódio dela, era como se por um instante eu não estivesse no meu corpo, parecia ser uma outra pessoa, minha mãe ficou abalada com tudo o que viu e ouviu, quando a fúria passou, eu disse que precisava ir na faculdade, e pedi pra ela me acompanhar até o ponto de moto-táxi, no meio do caminho eu parei e novamente comecei a chorar, não conseguia guardar aquilo só comigo, minha mãe tornou a me perguntar o que estava acontecendo, então eu respondi “mãe, estou ficando louca”, pedi pra ela me levar no médico, ela queria que eu voltasse pra casa dela, e se entristeceu muito, me despedi dela e fui para a universidade, olhos inchados e um falso sorriso no rosto, mal conseguia assistir as aulas, da faculdade voltava pra casa do meu avô, ia pra meu quarto e tentava dormir, mas tinha muita insônia por causa dos pensamentos, andava sempre cansada e abatida, era como se eu estivesse em outra dimensão, não conseguia prestar atenção em mais nada, a situação era tão extrema que não queria sair na rua sozinha, nem entrar no ônibus da faculdade quando estava lotado, me afastava de todas as pessoas, usava fones no ouvido no volume mais alto, pra não escutar o que elas conversavam, não queria ninguém perto de mim, evitava os amigos da igreja, não saia de casa em certas datas com medo de algo acontecer, contava os quadrados da cerâmica, as letras das palavras, transformava tudo em números, placas de carros e números de casas não podia nem olhar, vivi um verdadeiro pesadelo, por conta de tudo isso meu rendimento escolar caiu bastante, o que serviu pra me deixar ainda mais deprimida e nervosa. Minha mãe marcou a consulta com um psicólogo que me diagnosticou com TOC (Transtorno obsessivo-compulsivo), depressão, fobia social, transtorno do pânico, e o psiquiatra receitou alguns remédios, neste tempo minha mãe alugou uma casa em um bairro mais próximo e eu fui morar com ela, os remédios me dopavam completamente, tinha falta de apetite, muito sono, e tive de trancar a faculdade por um semestre, com isso não saia mais de dentro de casa, a não ser para fazer as consultas obrigada pela minha mãe, a maior parte do tempo ficava no quarto deitada, não tinha forças, os remédios pioraram minha saúde física, além de me fazer perder 7 quilos em 3 meses, minha autoestima caiu bastante, a situação ficou ainda mais crítica quando comecei a pedir minha mãe pra expulsar algumas visitas de nossa casa, gritava muito, dizia palavras horríveis pra machuca-la, mim arranhava, já ameacei cortar os pulsos, estava terrível, meu irmão tinha medo de ficar sozinho comigo, o inimigo agia de tal forma através de mim, que as vezes até eu mesmo duvidava do que tinha feito, minha mãe nesta época voltou pra igreja e se reconciliou com Jesus, orava mais, subia ao monte, começou a buscar mais o Senhor, percebi que ela havia mudado, mas mesmo assim guardava rancor no coração por ela, o TOC só aumentava, e eu alimentava isso, fazendo certos tipos de rituais, perdia muito tempo com isso, então comecei a pensar seriamente em suicídio, tinha medo de entrar na internet, mas mesmo assim entrava e pesquisava formas de suicídio sem dor, venenos, monóxido de carbono, entre outros, coloquei na cabeça de que um dia tomaria a cartela toda de remédios antidepressivos de uma só vez, pelo menos colocaria fim do meu sofrimento e no de minha mãe, mas logo me lembrava de tudo que havia escutado na igreja e lido na Bíblia, suicídio é pecado, e quem faz isso vai para o inferno, não tive coragem, então pedi a Deus pra ter misericórdia de mim e me tirar a vida, pois não aguentava mais tudo aquilo, pedia orações pra algumas pessoas evangélicas, outras sentiam o desejo de me visitar, conversar e orar, diziam pra eu voltar pra Jesus, mas meu coração continuava endurecido, comecei a pensar que Deus não gostava de mim e havia de abandonado, por isso estava passando por aquela enfermidade espiritual e psicológica, mesmo assim eu tentava conversar com Deus e pedia entre muitas coisas eu me enviassem amigos para me ajudar, pois me sentia muito sozinha, já que eu mesma afastei meus amigos da igreja, pois não queria que eles me vissem tão diferente do que eu era antes, e não queria envolvê-los nos rituais do TOC, dos colegas de faculdade não recebi nenhuma ligação, e-mail ou visita, todos se afastaram e alguns me disseram que tinham medo de mim, 6 meses se passaram e eu tive de retornar aos estudos, e em mais ou menos cinco meses não consegui levar o curso adiante e abandonei a faculdade, mudei de psicólogo várias vezes, a última com quem fiz o tratamento foi uma profissional muito competente, era como se fosse uma amiga, ajudou bastante com as conversas, mas eu sabia que eu precisava mesmo era de Deus, só Ele poderia me curar completamente, pois esta doença era algo além da medicina e da psicologia, não tinha nada haver com meu cérebro e neurotransmissores, como os psiquiatras acreditavam, era algo espiritual e eu sabia disso, mas não contava pra ninguém, tinha um certo receio de voltar pra igreja e ter que pedir perdão pra minha mãe, queria fazê-la sofrer um pouco mais, pra descontar tudo o que eu havia passado. Um certo dia eu voltei a usar o facebook e olhando as postagens de meus amigos, vi algo que me entristeceu muitíssimo e despertou raiva em mim, meu coração começou a acelerar, chorei e gritei, estava sozinha em casa, queria conversar com alguém, e nessa hora vi entre os contatos online, um colega de curso, que eu quase não conversava, mas havia observado que ele sempre dava um exemplo de um verdadeiro cristão, as vezes ele falava de Jesus na sala de aula, então, tomei coragem e iniciei uma conversa com ele pelo facebook, contei tudo o que estava se passando, e ele disse que iria sair do bate-papo para seu momento de oração e iria orar por mim, e que depois iria me visitar e me levar na casa de uma serva de Deus, não demorou e o irmão Thiago veio na minha casa, fomos juntos na casa da irmã, lá oramos e voltei pra casa me sentindo mais leve espiritualmente, fizemos uma campanha de 3 dias e comecei a sentir uma diferença dentro de mim, e até na minha aparência, em um domingo o irmão veio me visitar trazendo consigo alguns jovens e adolescentes de sua igreja, eles louvaram a Deus, ministraram a palavra e conversaram comigo, Deus usava tremendamente aqueles jovens e me dizia coisas que só eu sabia, coisas que eu não havia contado pra ninguém, era tudo muito lindo, nunca tinha visto jovens tão usados por Deus. Fiquei admirada, e Deus falava profundamente ao meu coração, cada vez mais sentia uma mudança dentro de mim, eles fizeram cultos em torno de 3 a 4 vezes na minha casa, me alegrava muito com isso, então comecei a abrir meu coração e senti um desejo enorme de voltar para Jesus, ser curada e um dia ser usada na sua obra, me reconciliei com o Pai e Ele com sua graça, amor e misericórdia transformou completamente minha vida, me curou de todos os males, hoje sou uma nova criatura em Cristo Jesus, as coisas velhas se passaram, o Senhor colocou amor em meu coração, preencheu todo o vazio, e eu pude liberar e pedir perdão para minha mãe, e dizer que eu a amo.


Deus tem me dado muitas bênçãos, restituiu minha vida, mas a maior de todas elas é minha salvação e a certeza de que vou morar com Ele, hoje entendo que o deserto que passei, foi uma maneira de Deus para eu voltar para os caminhos d’Ele e me fortalecer na fé, agradeço a Ele por tudo, pela minha mãe, pelos amigos e parentes que me ajudavam em orações, falavam de Deus pra mim, me davam conselhos e abraços, que Deus abençoe a todos. Tudo que me aconteceu é para honra e glória do Senhor, descobri que Ele nunca me abandonou, sempre esteve comigo, cuidando e protegendo com o seu infinito amor, Jesus meu melhor amigo, toda honra e glória seja dada a Deus!!!

Testemunho de Laila Ramaldes tirada do seu perfil facebook.

 

2 Comments

  1. Oi Laila!
    Olha, eu sei exatamente o que vc viveu pq vivo com isso desse a adolescência.
    Fui diagnosticado com TOC aos 18 anos e de lá pra cá, estou com 32 hj, vivi as loucuras da doença. Tomei vários remédios, vários psicólogos, e semelhante a vc perdi amigos, namoradas, promoções no emprego, minha saúde. Fiz 2 cirurgias na coluna e ainda hj tenho mtas dores. Não consigo estudar, detesto meu emprego e estou numa situação péssima…. Estou tendo crises de pânico! Sinto meu corpo todo queimar!
    Igual a vc, comecei bem na igreja, mas fui me afastando, até o ponto de usar drogas, brigar na rua e etc.
    depois desse período voltei pra igreja mais por medo (sofri um trauma) do que por entendimento do amor de Cristo. Me esforcei, fiquei casto, tentava falar do amor de Cristo, virei líder de PG…
    Mas nada disso adiantava. Os pensamentos e a angústia permaneciam.
    Foi então quando me afastei novamente e senti a derrota do Diabo mais uma vez.
    Estou assim agora, me recuperando dessa queda, estou tomando ansiolíticos, mas não sei. Hoje foi diferente, Deus tem ne tratado e percebo que posso ser curado se eu verdadeiramente me entregar à Ele.
    Sempre fui evangélico, mas nunca fui discípulo.
    Deus me revelou isto, e só nisso já vejo e sinto seu amor por mim.
    Ele me ama e isso vai mudar o sentido da minha vida! Eu creio que posso viver em paz, mesmo que esteja em situações sem paz.
    Ore por min! Espero que Deus a faça ler meu post pra honra e glória do nome Dele.
    Hj eu orei e Deus me mostrou que se eu fosse o que eu lutei pra ser eu seria um perdido.
    Gostaria de sua ajuda.

    • Toda a historia q vc contei eh exatamente igual oq aconteceu comigo! Estou em choque.. poxa, eh bom saber q nao estou sozinha. Tb fiz mta coisa ruim por causa do toc e do inimigo, usei drogas, briguei e me rebelei mto com meus pais, me arrependo mto, e hj estou me entregando mais e mais ao Senhor, pois ele mostrou a força Dele tb mtas vzs de varias maneiras. Quero aprofundar meu relacionamento com Cristo e tb sentir a cura que por mto tempo espero.
      Mto obrigada por compartilharem suas historias.

Leave a Reply to Fernanda Cancel reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

Read more:
missa
Confutação de algumas heresias da Igreja Católica Romana: sobre o homicídio

A doutrina dos teólo...

3
Tens que nascer de novo

Jesus Cristo um dia ...

Close