Pages Menu
Facebook
Categories Menu

Posted | 0 comments

Confutação de algumas heresias da Igreja Católica Romana: o culto aos anjos

A doutrina dos teólogos papistas
 

Os anjos devem ser invocados porque oram por nós junto com Maria e os santos. O catecismo romano afirma:

‘Invoquemos também a Nossa Senhora, os Anjos e os Santos porque, sendo caros ao Senhor e piedosos para connosco, nos auxiliam nas nossas petições com a poderosa intercessão. (…) Os Anjos e os Santos são poderosos intercessores junto de Deus, porque são seus servos fiéis, ou melhor, amigospredilectos’.

Além de Maria e os santos portanto – segundo a teologia papista – também os anjos devem ser invocados porque são intercessores junto de Deus. E a eles é dirigido um culto: os anjos da guarda são festejados a 2 de Outubro. E para sustentar que os anjos oram por nós que estamos na terra, os teólogos romanos tomam estas palavras do profeta Zacarias: “Então o anjo do Senhor respondeu, e disse: Ó Senhor dos exércitos, até quando não terás compaixão de Jerusalém, e das cidades de Judá, contra as quais estiveste indignado estes setenta anos? Respondeu o Senhor ao anjo que falava comigo, com palavras boas, palavras consoladoras” (Zac. 1:12,13).
 

Confutação
 

Os anjos do Senhor não devem ser invocados
 

A sagrada Escritura diz que “o anjo do Senhor acampa-se ao redor dos que o temem, e os livra” (Sal. 34:7), e que por nós termos feito de Deus o nosso refúgio Ele dará ordem aos seus anjos para nos guardarem em todos os nossos caminhos (cfr. Sal. 91:11). Mas em nenhum ponto ela diz que nós devemos invocar os anjos porque eles intercedem junto de Deus em nosso favor. E isto sempre pelo mesmo motivo já exposto antes; porque entre Deus e os homens só há um mediador, a saber, Jesus Cristo. E a Escritura também não diz que nós devemos render culto aos anjos, antes ela nos põe de sobreaviso deste culto aos anjos com estas palavras: “Ninguém vos domine a seu bel-prazer com pretexto de humildade e culto dos anjos, envolvendo-se em coisas que não viu; estando debalde inchado na sua carnal compreensão” (Col. 2:18). Os anjos não são dignos de receber o nosso culto porque só Deus é digno de ser adorado: temos uma confirmação disso também nas seguintes palavras de João: “E eu, João, sou aquele que vi e ouvi estas coisas. E, havendo-as ouvido e visto, prostrei-me aos pés do anjo que mas mostrava para o adorar. E disse-me: Olha, não faças tal; porque eu sou conservo teu e de teus irmãos, os profetas, e dos que guardam as palavras deste livro. Adora a Deus” (Ap. 22:8,9). Sabemos bem que os Católicos dizem: ‘Mas nós não os adoramos, os veneramos, isto é, os honramos…’ (Giuseppe Perardi, op. cit., pag. 282), mas os factos demonstram que a sua chamada veneração pelos anjos não é mais que uma verdadeira e própria adoração; por isso é fundada a acusação de idolatria que lhes é dirigida. Pelo que respeita às palavras de Zacarias, é necessário dizer que o anjo do Senhor mencionado era o Filho de Deus que ainda não tinha tomado a nossa natureza humana; por isso estas palavras se confirmam alguma coisa é a intercessão do Filho de Deus e não a dos anjos que são apenas criaturas.

 

Fonte

 

Post a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

Read more:
pentecostes
Ilha de Timor: Um novo Pentecostes

Pertenço à Igreja Re...

confissao1
Confutação da Igreja Católica Romana: a penitência (ou confissão)

A doutrina dos teólo...

Close